Posts com Tag ‘alergia’

Intolerância e alergia alimentar e alternativas

Laís Coelho, nutricionista Natue

Provavelmente você conhece alguém que sofre com alergia e/ou intolerância alimentar, ou seja, pessoas que apresentam reações adversas ao consumo de determinados alimentos. Mas você sabe a diferença entre alergia e intolerância alimentar? Então confira:

– Alergia alimentar: é uma reação adversa à determinados alimentos e que envolve reações imunológicas entre antígenos (alimento causador da alergia) e linfócitos sensibilizados (células de defesa do nosso corpo).

– Intolerância alimentar: está relacionado a qualquer reação adversa a determinados alimentos e que não envolve reações imunológicas, podendo apresentar diversas causas, tais como reações farmacológicas, contaminação, metabólicas, toxicas ou neuropsicológicas. Um exemplo de intolerância alimentar é a doença celíaca, caracterizada pela intolerância ao glúten devido à ausência de enzimas capazes de fazer sua digestão.

Como, muitas vezes, os sintomas de alergia e intolerância alimentar são parecidos, as pessoas acabam confundindo.

Dentre os alimentos mais associados a reações alérgicas, podemos citar o leite de vaca, ovo, amendoim, nozes, soja, trigo, peixe e frutos do mar. Além disso, os alimentos podem causar reações cruzadas, ou seja, diferentes alimentos podem provocar respostas alérgicas no mesmo indivíduo. Por exemplo, uma pessoa alérgica a camarão pode não tolerar outros crustáceos. Assim como pessoas alérgicas a amendoim também podem apresentar reação ao ingerir soja ou outros grãos.

Após o correto diagnóstico de alergia ou intolerância alimentar por determinado alimento, o mesmo deve ser excluído da dieta alimentar com supervisão e orientação de médico ou nutricionista. Saiba o que excluir da dieta com relação aos principais alimentos alergênicos e quais as alternativas para substituí-los.

  • Leite

– excluir: Leite de vaca, leite de ovelha, leite de cabra, leite desnatado, leite evaporado, leite condensado, leite em pó, requeijão, iogurtes, manteiga, queijo (qualquer tipo), natas, papas lácteas com leite para crianças.

– alternativas: optar por leites vegetais (ex. leite de aveia, leite de soja, leite de amêndoas, etc.) e outros produtos à base de soja, que tem por objetivo substituir o leite de vaca em diversas preparações como leite condensado, doce de leite, creme de leite, tofu (ou queijo de soja), patês, pastas, entre outros.

  • Ovos

– exluir: Ovos (galinha, pata, peru, codorniz, avestruz), clara e gema de ovo.

– alternativas: carnes no geral (boi, aves, suínos, etc.).

  • Trigo (glúten)

– excluir: farinha de trigo e outros cereais como aveia, cevada, centeio e malte; todos os tipos de pão ou broa; flocos de cereais; tortas; gelados com bolachas ou biscoitos; papas lácteas e não lácteas com trigo; bolachas; bolos; molhos Seitan; sopas pré-confecionadas; couscous; esparguete e massas.

-alternativas: Em substituição ao glúten presente no trigo, centeio, aveia, cevada e malte, é possível utilizar arroz (farinha de arroz), mandioca (farinha de mandioca e polvilho), o milho (fubá, amido de milho, farinha de milho), batata (fécula de batata), e farinha de araruta.

  • Peixe

– excluir: peixes brancos, tais como linguado, corvina, garoupa, nero, galo, linguado, cherne e pescada, além dos peixes azuis, como sardinha, salmão, atum, cavala, enguia, arenque truta.

– alternativas: consumir outros tipos de carne (boi, aves, suínos) e linhaça, uma fonte vegetal de ácidos graxos poli-insaturados da família ômega 3 (presente nos peixes).

  • Amendoim e frutos de casca rija

– excluir: amendoim, avelã, coco, noz, caju, amêndoa, pistacho, pinhão e semente de sésamo.

  • Frutos do mar (crustáceos e moluscos)

– excluir: camarão, ostra, mexilhão, caranguejo, lagostas, polvo, lulas, ameijoas e chocos.

  • Soja

– excluir: soja, rebentos de soja, feijão de soja, tofu, molho de soja, miso, molho shoyu, farinha de soja e óleo de soja.

Devemos ressaltar a importância de verificar as informações expressas nos rótulos dos produtos industrializados (especialmente na lista de ingredientes), uma vez que estes alimentos também podem estar presentes na composição de diversos produtos. Além disso, em caso de dúvidas, o melhor a fazer é consultar o fabricante do produto antes de consumi-lo.

Laís Coelho, nutricionista Natue

www.natue.com.br/

Por Geosh

Milk cheese yogurt eggs on a white background

O artigo de hoje é uma dica simples (duas na verdade) e, te digo, como estamos tão habituados com o consumo de laticínios, é uma coisa que, as vezes, não faríamos ou notaríamos normalmente.

Vou mostrar para você um teste que você pode fazer para descobrir se você sofre de algum tipo de alergia ou intolerância à lactose e se isso está impactando na sua saúde geral e no seu emagrecimento.

Estima-se que 70% da população brasileira sofra de algum tipo de intolerância a lactose. É Muita gente! E como estou de ótimo humor hoje, vou deixar os detalhes do prejuízo que o processo de pasteurização trás ao leite pra outro dia!

Bom, primeiro, deixe-me te contar os resultados do teste que fiz em mim mesmo.

O Teste Em Mim… (as melhoras foram muito dramáticas)

  • Meu corpo e, principalmente, meu rosto, desincharam.
  • Meu nariz e sistema respiratório passaram a funcionar melhor e as crises de muco e rinite desapareceram por completo.
  • Minha digestão melhorou muito, cessaram os gases e diarréia.
  • Meu corpo passou a regular sua temperatura. Eu sentia calor em excesso e hoje sou muito mais tolerante ao calor.

Só esses motivos já melhoraram tanto a minha qualidade de vida que, por si só, justificam o teste. Gostaria de ter descoberto isso com 11 anos, que foi quando comecei a ter problemas severos com a rinite. Sofri com esses problemas, literalmente, metade da minha vida!

Ainda, como resultado do teste, a cereja no bolo foi que minha capacidade de manter os níveis de gordura corporal baixos e perder gordura, melhoraram!

O Teste é Simples! Vamos Lá!

Regra básica: Duas semanas inteiras sem laticínios. É isso mesmo! Você vai passar duas semanas sem consumir:

  • Leite, chocolate, achocolatado, iogurte, queijo;
  • Bolos, doces, biscoitos e tudo mais que levar leite ou laticínios como ingrediente.
  • Se você faz musculação para Hipertrofia muscular e faz suplementação de caseína, suspenda a caseína durante o teste. Suspender a whey protein é opcional desde que você tome apenas pré/pós treino.
  • Não precisa restringir a manteiga! Ela possui pouca lactose/caseína e não costuma causar problemas.

Caso você note mudanças positivas ou queira ter uma resposta mais conclusiva, pode estender o teste a quatro semanas, ou seja, um mês inteiro.

Uma Ótima Alternativa Ao Leite

Estou fazendo um artigo sobre soja, e já adianto: Até agora as conclusões não são favoráveis. Exceto para os alimentos fermentados de soja que são altamente pro-bióticos.

Porém, a algum tempo A bióloga Juliana Hernandes(leitora aqui do site) enviou por e-mail uma receita simples e deliciosa de leite de nozes/castanhas, que fiz com amêndoas e adorei! Pra ser sincero, eu fiquei impressionado como é simples e fácil de fazer! Nas palavras da própria Juliana:

“Sou bióloga e convivo com a intolerância a lactose já há alguns anos. Tentando fazer substituções ao leite cheguei ao leite de castanhas, que tem me feito muito bem e que acredito ser uma boa opção para pessoa que querem emagrecer.”

A receita é simples e pode ser feita com vários tipos de castanha (a amêndoa é minha preferida). Basta deixar um punhado de castanhas de molho em água limpa por 24 horas. Elas irão inchar e absorver parte da água. Após essas horas, basta lavar as castanhas, colocar no liquidificador com aproximadamente 700 ml de água e bater até que elas se dissolvam por completo. Na receita original se recomenda coar para tirar o resto da casca. Eu particularmente não coo para manter as fibras.”

Nota: Muitas pessoas são intolerantes a lactose e não sabem disso. A intolerância pode aparecer em vários níveis de intensidade, porém, mesmo que você não note uma intolerância forte, você ainda pode estar sofrendo as consequências de uma intolerância mais suave.

Comentários Adicionais

Por Rodrigo

Você pode se perguntar: “Tá, mas e o cálcio?”

Certo, porém, gostaria de lembrar que existem outros alimentos que, como um todo, são melhores fontes de cálcio do que o leite.
Laticínios são, sim, ótimas fontes de cálcio, porém, eles podem realmente causar problemas visíveis e invisíveis em muitas pessoas.

Algumas opções de laticínios que seriam mais recomendadas do que o leite puramente: queijo cottage, tofu e iogurte natural integral.

Para você ter uma idéia, a quantidade média recomendada de ingestão de cálcio por dia em um adulto é em torno de 1000mg de acordo com Food and Nutrition Board (FNB).

A exemplo, deixe-me compartilhar uma simples comparação entre alguns alimentos

Alimento (100g ou 100ml de cada alimento) -> mg de Cálcio
Amêndoas -> 248mg
Sardinha -> 240mg
Castanha-do-Pará -> 160mg
Semente de Girassol seca -> 116mg
Leite Integral -> 113 mg
Brócolis -> 40mg
Laranja -> 40mb
Repolho -> 31mg

Referências: http://emagrecerdevez.com/o-teste-do-leite

Meus comentários (Matthaeus)

Eu estava tomando 1 litro de leite por dia numa antiga dieta e estava com uma barriga inchada que não sabia o motivo, além de retenção de líquidos no corpo inteiro, prejudicando a visibilidade dos meus músculos. Usava o leite olhando só pelas proteínas dele e por ser líquido para fazer shakes. Quando cortei o leite perdi 6 cm de barriga e ganhei bastante definição. Quase adquiri um abdômen definido sem nenhum aeróbico (já que sou ectomorfo, evito os mesmos). Incrível. Porém ainda continuo com derivados que não me causam isso.
Mesmo assim, não faço uso de leite de amêndoas.

Vale a pena o teste.